TV & Famosos

Gal Costa uma das maiores vozes da música brasileira falece; familiares e amigos se despedem da cantora

Gal Costa, uma das grandes vozes da música brasileira, faleceu na manhã desta quarta-feira, 9. A assessoria da artista confirmou a informação, mas a causa da morte ainda segue desconhecida. A renomada cantora tinha 77 anos.

A cantora iria ser uma das atrações principais do festival Primavera Sound, em São Paulo, no último final de semana, mas sua participação foi cancelada de última hora.  Segundo sua equipe, ele teve que se recuperar após a retirada de um caroço da narina direita e ficaria em inatividade até o final de novembro, segundo as recomendações do médico.

A operação foi realizada em setembro, logo após sua apresentação em outro festival de música em São Paulo, o Coala. Ela não voltou aos shows desde então, mas já tinha datas na turnê As Várias Pontas de uma Estrela que iriam acontecer nos meses de dezembro e janeiro.

Maria das Graças Penna Burgos, conhecida como Gal Costa, nasceu em Salvador, Bahia, em 26 de setembro de 19 5. Filha de Arnaldo Burgos e Mariah Costa Penna, ficou órfã aos 14 anos. Trabalhou como balconista em uma loja de discos em Salvador. Em 1963, conheceu Caetano Veloso, apresentado por seu vizinho e amigo e futura esposa do cantor, Dedé Gadelha.

Participou da inauguração do Teatro Vila Velha de Salvador na produção “Eu por exemplo” com Caetano, Gilberto Gili, Bethânia e Tom Zé. Em 1965 mudou-se para o Rio de Janeiro e publicou seu primeiro disco, gravado com Caetano Veloso, um compacto com as canções de Caetano Sim, Foi Você e Gilberto Gili Eu Vim da Bahia. Em 1966, participou do primeiro festival internacional da canção com a música “Minha Senhora” de Gilberto Gili e Torquato Neto.

A popularidade de Gal Costa, que já colecionava os sucessos “Festa do Interior”, “Meu Bem Meu Mal” e “Açaí” do disco “Fantasia” (1981), é reforçada pelo disco “Bem Bom”. “, 1985 – o best-seller, swing vanguardista do cantor de Arrigo Barnabé (música-título) e da dupla Michael Sullivan e Paulo Massadas com a música “Um Dia de Domingo”, dueto com Tim Maia.

Na segunda metade da década de 1990, Gal Costa voltou a ler suas antigas gravações. Em 2001, entrou para o Carnegie Hall of Fame, sendo o único cantor brasileiro a entrar no Hall após 40 anos de participação no programa Bossa Nova em homenagem a Tom Jobim. Em 2005, lançou o álbum “Hoje”.