Saúde

Faz uso de dipirona? Fique atento a estas informações importantes sobre o medicamento

Sabemos que a dipirona é realmente um medicamento que é muito utilizado para poder combater as várias dores de cabeça e no corpo, ele também atua como analgésico e antitérmicos, podendo também ser considerado um dos remédios que é mais utilizados para esses fins, além do seu valor que também é de baixo custo para a população.

No entanto, embora a dipirona seja um medicamento que realmente é muito seguro para a grande maioria das pessoas, tem também os mesmos efeitos colaterais que quaisquer outros medicamentos que são vendidos atualmente, que podem aparecer imediatamente ou até mesmo por um longo período.

Assim como qualquer outro remédio que está na prateleira de uma farmácia, os vários efeitos colaterais da dipirona geralmente são realmente mínimos, mas, a reação que é mais comum é a hipersensibilidade, que se caracteriza por extrema coceira, vermelhidão da pele e até mesmo bolhas, que na grande maioria dos casos se espalham por toda o corpo da pessoa.

Mesmo as pessoas que foram tratadas com a mesma medicação em várias outras ocasiões podem realmente ter reações mais graves com a dipirona, mesmo que não tenham tido nenhuma reação naquele momento anterior de uso. Nas rações, podemos citar alguns: Veja logo abaixo algumas das reações:

  • Problemas linfáticos e sanguíneos, como a perda da capacidade de produzir certos componentes importantes do sangue (como os glóbulos brancos).
  • A trombocitopenia é a incapacidade da medula óssea de produzir plaquetas, exceto por alguns fenômenos que causam sangramento.
  • Distúrbios vasculares e também distúrbios renais.

“Pessoas que possuem reações anafilactoides, como urticária, angioedema, devem evitar seu uso, bem como aquelas com hipersensibilidade à dipirona ou a qualquer um dos componentes de sua formulação. Pacientes com a função da medula óssea prejudicada também devem evitar”, diz o especialista.

Os efeitos colaterais da dipirona podem variar desde alterações no sistema imunológico (choque anafilático, coceira, ardor, vermelhidao), gastrointestinais (associado à sangramentos), renais (piora da função renal em pacientes já com doenças renais crônicas), vasculares, pele e até no sangue”, afirma os especialistas.

É muito importante também ressaltar que além desses sintomas, é possível também que ocorra alguns outros tipos de reações, por isso é sempre muito importante ficar atento e se caso perceber algo de muito diferente procurar um médico imediatamente, pois dependendo do tipo de reação o paciente poderá até mesmo morrer.