Notícias

Jovem perde a vida em briga por herança e mãe fica desolada com perda: ‘Era meu tudo’

A mãe da jovem, Fernanda Pereira, de 24 anos, fez um desabafo após perder sua filha de maneira tão cruel. Fernanda foi morta a tiros na região de Jacarandá, em Guarapari, no Espírito Santo. A principal suspeita é que ela tenha tido a vida tirada pelo o próprio irmão ao se envolver em uma briga por herança.

Entrevistada por um canal de comunicação, Flaviana Ventura, contou que Fernanda era sua única filha e que ela tinha o sonho de se formar em direito.

“Fernanda era meu tudo, a minha base, minha força, minha vida. Era por ela que eu lutava, trabalhava e sempre quis dar o melhor pra ela, fazer o melhor. Ela era responsável, trabalhadora, lutadora, cuidadora”, contou ela, ressaltando todas as características positivas de sua filha.

Além disso, a mãe comentou que Fernanda amava muito o pai dela e cuidou dele, assim como se preocupava com ela. Flaviana também se emocionou ao visitar a faculdade de sua filha e ver a mobilização que foi feita por conta de sua morte. Fernanda teria sido morta por um irmão de parte de pai que não queria aceitar dividir a herança que foi deixada pelo pai dos dois.

Foto: Reprodução

Um outro irmão de Flaviana também foi baleado, mas ele conseguiu fugir para o mato e evitou ter tido sua vida tirada. A mãe disse que foi uma situação muito difícil ter visto sua filha machucada daquela forma.

“Eu queria que fosse eu naquele momento, porque é muito difícil você não poder fazer nada. Mesmo ela machucada, baleada, ela empurrava meu pé, pra eu sair de frente dela. Foi uma cena muito difícil para qualquer mãe”, disse ela.

A mãe pede justiça e afirma que Fernanda teria sido morta por conta dos bens deixados pelo pai, que tinha outros quatro filhos, além da jovem.

“Muitas mãe já choraram pelos seus filhos. Hoje eu peço justiça, que todas as mães possam orar para que esse assassino seja preso. Ele levou minha vida, roubou os sonhos e parou a vida dela, simplesmente pelo dinheiro, pelo interesse. Eu sinto que ele não tinha amor, ele é um ser desprezível, não tinha sentimentos.”

Segundo a mesma, a discussão começou por conta de um quarto. A perícia afirma ter achado sete perfuração no corpo da jovem. Já o tio, durante a briga, para tentar defender a sobrinha, foi baleado cinco vezes.

“Ele se alterou e acho que foi o motivo que ele precisava. A gente chegou e sentou, perguntei como ele estava e ela ficou ali comigo uns três minutos. Depois, ela foi no quarto e voltou, pedindo para ele abrir a porta do meu quarto.”

Flaviana conta que os dois começaram a falar um pouco mais alto, então o tio de Fernanda chegou na varanda para entender o que estava acontecendo e também acabou ameaçado pelo suspeito, que colocou a mão na cintura e mostrou um facão.

“Ele levou a mão no facão e meu irmão jogou o facão longe. Nisso, ele entrou e já voltou atirando, indo em direção à Fernanda. Eu e minha cunhada começamos a gritar e a parceira dele, que estava perto, não fez nada, nem tentou segurá-lo”, disse Flaviana.

“Muita vontade de entrar ali, tirar a arma dele. Se eu pulasse nele, o que poderia acontecer? Eu me culpo, porque poderia ter pulado. Tudo o que eu queria é que aqueles disparos parassem. Só pedia pelo amor de Deus que ele parasse. Falei que estávamos indo embora e ele continuou, sem piedade alguma”, desabafou ela.